quinta-feira, 6 de novembro de 2008


Amanheceu, mas não enxergo a luz do sol na janela.
A manhã veste cinza escuro, muito escuro, entremeado com um azul funesto. A noite quente e úmida já fazia avisar que a manhã seria de tormenta, mas a roupa dela ainda estava seca.
Ela ainda não chorara, estava esperando não sei quê, de cara emburrada. Via-se que era para logo, já já cairia em prantos.

Gotas caem .

Pinga gotinhas do céu

Elas se misturam, duas águas, de duas naturezas

Mas aí, a enxurrada já levara as duas dançando no asfalto.

Por favor, chova bastante senhora

Me revigora!

(queria me misturar com você)