sexta-feira, 26 de dezembro de 2008


Pai
Me permita sentir e tatear, enquanto essas inúteis palavras que saem da minha boca não conseguem explicar o que esse coração sente.
Me permita ver e ser graça em suas coisas, as que os outros acham mera existencia e acaso ou destino....meu Pai, estou aqui te rogando misericordia pelos que sentem que sua infinita existencia simplesmente seja de pedra, de concreto ou ouro maciço...
Me desculpe por não conseguir expressar a infinidade de coisas que acho dentro de mim e ao meu redor para sua glória.
Sou pequena, mas tu me deste este sentimento que ora consigo expressar e ora não.
Não ligo se isso seja desculpa para explicação de alguma coisa, que seja criação...meio em que fui criada, simplesmente te peço, me deixe sentir, enquanto esse coração me pede pra te seguir.