quinta-feira, 15 de janeiro de 2009


Não nasci pra regras
não me criei pra agradar os outros
não me importo com o que pensam de mim

Importo-me cada dia menos.
tenho minha cabeça
tenho meu coração
sinto tudo, menos sinto muito!
tenho pena de quem fica perdendo o tempo com a vida dos outros
perde de viver a dela mesma.
coisas que não acrescentam em absolutamente NADA
futricas e coisas que nunca, nunca vou entender.
Eu perco varias horas com a vida dos outros, lendo, vendo, coisas interessantes, pessoas inteligentes, intrigantes.
Pegue sua fofoca e enfie bem no meio da sua vida fútil.

Não tente me prender, nem eu consigo.
Me faça tua em suas mãos, em meu coração
em vontade
em liberdade.

Eu nunca fui só uma mulher.
Eu tenho dragões dançando no peito
Sons saindo do meu travesseiro
Sou mais e menos daquilo que consigo explicar
inquietação de pesadelo
deserto
toque do incerto
leveza do amanhecer
tormento de quem paga pra ver
som de caneta, de escrito
cores de fotografia
viro a cabeça de lado pra olhar todos os angulos do retrato
fico feliz com o cheiro de mato!
aperto do peito, do abraço
sobressalto
sussurro vocábulo ácido
derivação, decorrência
dedução mutável sem permanência
palavra solta que encontra frase certa
ou incorreta.
sua
(suave)

é estar fazendo nada e ser tudo
é esperar ligar
é ficar feliz em só ouvir a voz
os beijos e os lençóis...

Mas eu vou continuar sendo eu.
Porque eu sinto prazer nisso.
Me respiro.
Me decifro e me devoro
Me sinto
Trabalho com paixão. Uso a imaginação. Danço enlouquecidamente.Erro, Oro, Choro.

Não sei como terminar esse texto.
Mas não me importo tambem.


Tchau.