sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

A menina requeijão

Confundia tudo, tudinho, tudão
Achava que amor era bolinha de sabão.
O que não entendia
era essa injustiça!
Dona bolinha, sendo tão linda
e não pode ser tocada...
Nem de leve!
Se não, ela se perde.
PLIC
Como aguentar isso?
Com os olhos ver
e não poder senti-la de fato.
Não poder pegar...
Deveria aprender a aprecia-la de longe.
De longe.
A bolinha e suas cores.
Como confundia seus amores.

Sensação besta essa, ela sente isso com o céu as vezes tambem.
Por que será essa mania de matéria?
Se o que mais é válido, não se pega...
Não se aperta
Nem enxerga!
Fico com o requeijão, que é tão branquinho, e consigo colocar dentro do pão!