sexta-feira, 6 de março de 2009




Agora o sangue ja está seco.
Formou uma crosta de sangue pisado,
quem olha acha que está aberto,
mas está obstruído.
Cansou e cansou de sangrar
quando começava a cicatrizar,
sempre tinha alguma coisa afiada pra cutucar.
Cutucar e remexer a carne, observando sair mais sangue ainda,
sangue quente escorrendo até tocar o chão.
Mas não matou ninguem.
Matou?

Empilhe os erros que você fez,
no topo das mentiras para esconde-las.
Um sorriso mal mantido
As desculpas ja não fazem sentido
O sentido já não fazem as desculpas.
Mas estávamos suando enquanto você dormia.
Quantas vezes te olhando e vc nem sabia.
Não agora, posso suportar minha própria carne.

Dentro de minhas mãos essas pétalas secaram.
Secaram caindo até o chão.