segunda-feira, 30 de março de 2009


Faltam palavras pra descrever a repulsa;
Enxugue com toalha branca suas pernas com lama
(o quanto quiser)
Mas me deixe fora disso.
Sua carta na manga não me seduz
(não precisa mais apagar a luz)
Óh sim, é preciso muito mais que um bom pau pra me fazer te amar.
Sou uma bagunça sim, sou feia sim, sou bruxa e efervescente sim.
Sem contar os outros tantos escombros escondidos dentro da última gaveta.

Mas sou minha.
E essa é minha única certeza.
Sou almoço, sou janta;

Sou a sobremesa.