terça-feira, 26 de maio de 2009

Espelho.


A flor da pele
é assim que tudo está
até o vento me arrepia
nada de barroco
é o espirito solto
a vontade de rasgar o peito
a vontade de gritar
me atormentam cada dia mais
Cansada de estar aqui sem verdadeiramente estar.
Mas eu só preciso de uma cerveja gelada e vento
Na esquina ou em casa
Sensações fisícas de outros tempos. Ao menos.
Não adianta filosofias mascaradas
Eu sei quem você é.