terça-feira, 16 de junho de 2009

As vezes eu viro em voltas e fico tonta
Tonta você quer que eu fique
A estrada não tem placas
E quer que eu implore pra que indique

Não precisa
Prefiro meus machucados
Do que suas almofadas cheia de baratas safadas

Com a mão pra fora da janela
Sinto por entre os dedos, o vento
Tomo constantes tapas na cara
Mas não dói, não por dentro.
Só me deixa tonta
Sem saber o rumo da estrada
Mas eu chego, preciso achar fé
Ainda estou em pé
Manda pro inferno suas almofadas de ilusão.
Te mando um cartão.
Tchau.