segunda-feira, 6 de julho de 2009


Porque tenho esse corpo se não para experimentar?
(uma batida em falso e ele para de funcionar)
Pra que um dia tão bonito se não me deixam respirar?
Continue a folhar a revista que te mostra todas as tendências, coma aquela salada luxuosa de queijo de cabra com figo, se te faz feliz, é sim, é divino.
Tenho algumas cervejas roubadas, meu doce infernal mundo e alguns amigos.
Não me contenho
Não quero ser afinada
Quero gritar até deixa-los surdos
Não pretendo ser agradável aos ouvidos
Quero socos no estômago
Verdades escancaradas, pessoas abortadas em exposição na sua sala.

Você levanta e não quer levantar
Puxa as cobertas sobre sua cabeça e pensa como poderia viver ali embaixo o resto dos dias.
Você sai pela porta da rua mas sua vontade fica
é tudo cinza.
Todos atrás de papéis verdes, quanto mais, melhor.
E não importa se tem cor viva de vermelho sangue ou cheiro de carros roubados.
Pense por um minuto em se sujar, você é tão suja quanto quem o faz.
Chacoalhe a cabeça e deixe as baratas pretas sairem com o balanço (todas)
Você liga o som, e busca algo, ou algo te busca
Entrando cores, a cabeça agora vai deixando rastros coloridos pela estrada.
Vai até a parede e vê o quanto cresceu desde a última marca que sua avó fizera
O bolo ainda está sobre a mesa, parabens querida.
Muitos anos de vida?
Tenho medo de crescer tanto vó, e a parede não dê
Onde irá marcar?
Tem um rato no armário que você guarda suas roupas
Eu não quero que o rato morra de fome, pode comer as coisas aí dentro ratinho
Não tenha nojo, é só um ratinho, me divirto bastante quando saem pulando de medo dele.
Quais são as novas senhor rato?
Tem um bolo de aniversário lá na mesa, se quiser eu trago pra come-lo, não gosto de contar o tempo.
Não quero sapatos novos, não quero ir para outro lugar, quero os pés dele, o tênis velho e mais estourado, o mais lindo que eu já vi.
Você fica lindo amor, com sua roupa de sonhos, a vizinhança precisaria de óculos de sol para a retina suportar a luz que a escuridão abriga naquele nosso abrigo.
Pega água pra mim por favor?
Fica encaixado pra sempre em mim por favor?
Pra sempre não existe amor.
Pode ser o meu pra sempre?
Pode sim.
É tanto que o corpo não suporta, queria delicadamente afogar toda a lei do mundo e sua lógica;
Pra ficar com você todo o tempo que o relógio não pode contar
E me deslumbrar toda vez que fizer nevar.
De quem você precisa?
Você tem sorte, ele canta pra ele e te encanta com um sorriso de rei
Zomba do mundo e no fundo sabe que sabe viver, mesmo que duvide disso as vezes, ou o façam duvidar...querem nos consertar enquanto estamos ocupados em sermos felizes ao errar.
Então você chora no banho, chora tão forte que ri
Vendo as águas se misturarem, as águas que limpam.
Não esqueça os sapatos de dança
Ninguem sabe, é camuflado, mas você os tem.
Fiz um banner de felicidade, um dia esplêndido, posso pendurar quando seu dia estiver azedo.
O mundo vai girar, sabemos e ele não vai parar, não importa, as cores agora envolvem o corpo e todos os seres celestiais a nos presentear (eles gostam de nos observar)
Somos fruto deles.
Outra polegada ou duas que você cresceu
Não precisa comemorar sozinha, nem ter medo de desapontar.
Lembre-se da grandiosidade do mar.
(eu te amo)