domingo, 26 de julho de 2009


Maldade me entristece
Me revira o estômago
E me faz acreditar, cada vez mais que quero um mundo dentro de mim, paralelo a esse.
Ainda bem que tenho você comigo
De certa forma, me alivia tanta atormentação.
A você que sente o peso da minha alma, ri dos meus defeitos, coloca outro nome neles, tantas dúzias de imperfeições, a odiosa falta de coragem, os excessos condenados por todos os outros mortais, o desleixo com as coisas, a falta de feminilidade...ainda me abraça e diz que sou a melhor mulher do mundo.
Quero casar com você todos os dias, comemoraremos em algum boteco, ou com algumas cervejas em casa, e quando o álcool subir em nossa já entorpecida mente, falaremos de amor, de histórias e canções...poderemos colar o mundo na parede, esse que o nosso corpo não suporta e anda saltando pelos poros, emanando cores.
Vou acordar de manhã ao som do seu violão, a casa cheia de estrelas dançando pelo ar, e com os olhos ainda fechados, vou sorrir e ficar ali mais um pouquinho só pra te ouvir cantar...

O mundo dirá que somos loucos
E isso fará meus olhos brilharem

Nunca mais me mantenha no chão.
Agora meus pés não mais tocarão o chão.