quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Imagem: Brotherus

Detesto sinopses, trailers e tudo que indique o que vou ver.
E quando vomito e engulo novamente, o gosto já não é mais o mesmo.
Achei tantas coisas na minha gaveta que fiquei assustada de como pude guardar aquilo por tanto tempo.
Peguei a caixa toda, fui correndo, como se estivesse atrasada, mas muito atrasada, correndo e o vestido ficava enroscando na minha perna, cheguei lá quase sem ar, olhei pro mar, pedi desculpas, e joguei todo aquele lixo.
O mar ficou com uma mancha gigante, parecia petróleo, mas ele me sorriu e disse que era forte o suficiente pra dissolver, o agradeci e fiquei parada à sua frente por três dias, até que o vi azulzinho novamente.
Fui tirar um raio-x, pude ver meus ossos, achei meio sem cor, falei pro médico - Que sem graça doutor!
Ele disse, você veio pra achar graça ou saber o motivo da dor?
Saí de lá um pouco confusa.
Peguei o raio-x e coloquei à minha frente na frente do espelho, e pensei, como posso ter tudo isso aqui dentro e nem vejo?
Esse negócio não está com nada, se não sairia colorido, com letras ofuscantes escrito INFINITO.