terça-feira, 27 de outubro de 2009

Dance-me até eu ver a beleza como um vinho ardente derramado em meu vestido
Dance-me através do pânico, até onde eu possa me sentir segura
Eleve-me além do cume;
Mostre-me lentamente aquilo de que eu só conheço até o limite
Dance-me ao casamento agora, sem papéis, somente estrelas sorrindo como testemunhas
E amanhã e sempre mais um dia
Dance-me, outra vez
Dance-me mansamente com seu olhar e congele o tempo
Dance-me até sentirmos nossa luz
Até colorirmos todas as paredes do infinito
Gire-me atrás das cortinas dos nossos beijos
Toque-me com sua mão nua

Nua.
Com a inocência de uma criança
E com a voracidade da flor da idade, até ver minha pele queimar
Entrar.

Toque minha alma
Eleve-me
Beba-me
Mate-me
Dance-me até enquanto eu viver pra morrer (de amor)