segunda-feira, 22 de março de 2010


Ando procurando minha fé por becos escuros
Por entre ratos fétidos,  limpos e engravatados
Por entre consecutivos jogos de dados
A verdade que me ofusca o cristalino
Me perfuram os tímpanos
(Engulo meu intestino)

Se te fazem de idiota ou não
Consegue manter o vermelho do teu coração?

Quanto pesa o peso da culpa?
A fila é ali senhor, pode pegar a senha.
Palavras dobradas, salas vazias, santos vestidos de enigmas...
Eu posso jurar, que vi o escrito: Duas pequenas esferas situadas na parte frontal de sua face são as portas de entrada para tudo que você vê.

Alguem havia me dito.
Alguem havia mentido.