quinta-feira, 15 de abril de 2010

Pensou que a entrega causaria conforto
Uma boboca, como poucos.
Ela sentiu o espinho rasgando suas vértebras, seus nervos. A voz dele, indecente, no ouvido, eram para todas as pessoas com vontade de ouvi-lo.
Ela ofereceu a vida inteira.
Ele deixou a calda escorrer sobre ela.
Ela deu-lhe sua fome. E fez o caminho, mas era com tanto carinho...de cima a baixo, querendo aquece-lo.
Ele parou, pegou o balde de gelo, e enfiou o pau na água.
O frio doeu.
Ele gosta de dor.
Seu eu-lírico ofereceu mais calda quente
Ela então, estaria se aconstumando com a ambiguidade e seu sadismo, enfiando o pau dele na boca.
Ou não.