quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Das minhas facetas, talvez, só eu entenda

Dos meus sorrisos, despencam lagartos e brilhos
As minhas flores são coladas na pele
Com raiz saindo do umbigo
E la dentro dos meus cabelos
Há tantos desejos
Sonhos guardados
Alguns achados
(E alguns disfarçados e charmosos medos)
Mas eu sempre os pego brincado
e se travestindo
com o roupão de cor vibrante da forte realeza.